03/08/2021 Atualidades

Consumo e consumismo – Qual a diferença?

Escrito por Hexag Educação @hexagmedicina
Consumo e consumismo – Qual a diferença?

Na sociedade atual, cabe a reflexão a respeito da diferença entre consumo e consumismo. Consumir significa se apropriar de algo para atender a uma necessidade. Por sua vez, o consumismo se baseia no acúmulo de produtos, especialmente itens supérfluos que são dispensáveis.

Dessa forma, o consumo assume um papel relevante para a sobrevivência e subsistência, como alimentação, por exemplo. O homem precisa consumir alimentos para se manter vivo. O consumismo representa a extrapolação das necessidades, ou seja, o excesso cometido simplesmente para obter prazer e satisfação.

Siga a leitura para entender mais sobre essa diferença.

Consumo e consumismo: qual é a diferença?

Para entender a diferença entre consumo e consumismo, é válido conceituarmos os dois termos primeiro.

O que é consumo?

O consumo se caracteriza pela aquisição de suprimentos para saciar as necessidades básicas do homem. A vida dos seres humanos têm uma relação entre produção e consumo desde sempre.  O conceito, dessa forma, se relaciona a uma ação individual. Basicamente, cada indivíduo precisa atender às suas necessidades para garantir sua própria sobrevivência e a sobrevivência da espécie.

Partindo dessa premissa, compreendemos que o consumo é uma característica comum a todos. Trata-se de um fato de união dos indivíduos, pois todos têm necessidades que precisam ser resolvidas por meio dele. Conforme o tempo passa, os padrões de consumo sofrem transformações.

Basta observar que povos diferentes, em tempos distintos, têm suas próprias necessidades de consumo, como roupas, alimentos e habitação. Embora esses produtos possam variar, são necessidades dos seres humanos de maneira geral.

O que é consumismo?

O consumismo tem uma premissa diferente do consumo e se relaciona com o acúmulo de bens que ultrapassam a necessidade de subsistência. Há relação com um padrão de comportamento social que se baseia na aquisição de bens como uma forma de criar identidade, se diferenciar socialmente e ter prazer através da compra.

Consumismo pode ser descrito como um impulso direcionado à compra de bens, em especial os supérfluos. Comprar objetos de pouca utilidade pela única razão de comprar é consumismo. Não há uma necessidade para fazer essa compra a não ser o desejo de adquirir o item.

Diferença entre consumo e consumismo

A grande diferença entre consumo e consumismo está na motivação que impulsiona a compra. O consumo refere-se à apropriação de algo com o objetivo de sanar uma necessidade inerente à sobrevivência. Já o consumismo se refere a um comportamento de consumo que extrapola a necessidade.

O modelo de sociedade atual tem criado cada vez mais recursos de incentivo a esse comportamento consumista. As pessoas compram excessivamente itens supérfluos sem os quais poderiam facilmente sobreviver. É um padrão comportamental bastante difícil de gerenciar em termos de sustentabilidade para o planeta e economia pessoal.

Consumismo: qual é a história por trás desse comportamento?

O consumismo é um tema de estudo de áreas como história e sociologia. De acordo com esses estudos, esse padrão de comportamento teve início a partir da primeira revolução industrial (por volta de 1760). Com uma produção em larga escala pela indústria, houve mudanças significativas na relação entre produção e consumo.

Os avanços tecnológicos que levaram à primeira revolução industrial criaram um novo padrão de produção. Tornou-se necessário um número menor de pessoas para produzir uma quantidade maior de produtos. A sociedade pós-revolução industrial deixou de ser composta por produtores e passou a ser uma sociedade de consumidores.

A maior quantidade de produtos disponíveis também levou a uma mudança de comportamento de consumo, as pessoas passaram a ser estimuladas a comprar mais. A propaganda foi uma importante ferramenta para orientar essa mudança de comportamento de compra. Os produtos passaram a ser atrelados a modos de vida desejados.

Coisificação

O consumismo está baseado em um processo chamado de coisificação ou reificação, que nada mais é do que uma inversão da relação sujeito-objeto. Basicamente, o indivíduo (sujeito) que adquiria uma coisa (objeto) pela necessidade passa a se identificar através do padrão de consumo.

Logo, os objetos deixam de estar ligados à necessidade e passam a ser objetos de desejo. As coisas passam a assumir um papel diferente com a promessa de que suprirão outras necessidades, além de suas funções. A compra de um objeto passa a estar relacionada como a possibilidade de ser visto, respeitado, desejado, admirado, enfim, de agregar algo para a individualidade do comprador.

O consumismo tira o homem da sua natureza, os associando a bens de consumo, ocorre a objetificação dos indivíduos. Além de ter sérios impactos sobre a autoestima e percepção do indivíduo de si mesmo, o consumismo pode levar ao endividamento e acúmulo de lixo no planeta. O consumo desenfreado não é bom para aquele que compra e nem para o meio ambiente. Por isso, repensar a forma como se compra é determinante para o futuro.

Consumo e consumismo se diferenciam pela motivação principal, o primeiro se motiva na necessidade e o último na extrapolação da necessidade.

Retornar ao Blog