15/06/2021 Atualidades

É preciso falar sobre a diversidade sexual

Escrito por Hexag Educação @hexagmedicina
É preciso falar sobre a diversidade sexual

Diversidade sexual é um assunto que tem sido cada vez mais discutido e que precisa continuar sendo falado, afinal, ainda existe muito preconceito a respeito. Esse grande tabu se deve, principalmente, à desinformação, pois o fato de não entenderem faz com que muitas pessoas não respeitem orientações sexuais diferentes das suas.

Siga a leitura para saber mais a respeito da diversidade sexual e a importância de falar sobre esse tema. Inclusive, por se tratar de um conteúdo relevante para a sociedade, pode estar presente em questões e na redação de vestibulares e do Enem.

O que é diversidade sexual? Por que falar sobre isso é importante?

O termo diversidade sexual é utilizado para se referir a todas as orientações sexuais e identidades de gênero existentes. Afinal de contas, sabemos que as classificações de gênero, como feminino e masculino, e de orientação sexual, como hetero e homossexual, não são capazes de resumir toda a gama que existe.

A desinformação e o preconceito em relação à diversidade sexual levam muitas pessoas a viverem às margens da sociedade. Com isso, muitas têm dificuldade para se inserirem no mercado de trabalho, além de sofrerem ataques de todos os tipos, desde o verbais até homicídios.

Falar sobre esse assunto é importante, especialmente porque, de acordo com a Constituição do Brasil, todos têm direito à vida, à liberdade, à igualdade e à segurança. Entretanto, nosso país é um dos que possui o maior índice de mortes de pessoas LGBTQIA+, o que mostra que nem todos têm acesso a esses direitos.

Esse é um problema de toda a sociedade e não apenas daqueles que são vítimas da violência. Quanto mais as pessoas se conscientizarem a respeito da diversidade sexual, mais o preconceito irá perder a sua força. Esse é um desafio longo e árduo, mas que pode ser vencido através da participação de todos.

Significado da sigla LGBTQIA+

Muitas pessoas têm dúvidas sobre o significado da sigla LGBTQIA+, que passou por transformações ao longo dos anos com a inserção de novas letras a fim de torná-la mais inclusiva. Veja, a seguir, o significado de cada uma delas.

L – Lésbicas: mulheres que se sentem atraídas por outras mulheres.

G – Gays: homens que se sentem atraídos por outros homens.

B – Bissexuais: mulheres e homens que se sentem atraídos por ambos os gêneros.

T – Transexuais: a letra T está ligada à identidade de gênero e representa as pessoas que não se identificam com o gênero com o qual nasceram. Aqui também se incluem as travestis, que se identificam e se vestem de acordo com a identidade feminina.

Q – Queer: a palavra queer representa a teoria de que o gênero e identidade sexual são parte de uma construção social. Assim, as pessoas que se identificam com isso transitam pelas noções existentes, como as drag queens, por exemplo.

I – Intersexo: o termo intersexual está ligado a pessoas que estão posicionadas entre os dois sexos, masculino e feminino. São indivíduos que nasceram com características biológicas que não se encaixam nessas duas classificações.

A – Assexual: uma pessoa assexual não sente atração sexual por ninguém, independentemente de gênero. Elas têm uma visão própria acerca dos relacionamentos humanos.

+ – Outros grupos e variações de gênero e sexualidade: o símbolo + encerra a sigla dando a ideia de pluralidade que está relacionada a esse tema. Inclui outras variações, como a pansexualidade, por exemplo, que representa indivíduos que sentem atração por outros sem considerar o gênero.

Junho é o mês da diversidade sexual

Causas importantes como essa são sempre lembradas em épocas específicas do ano, que são quando os movimentos ligados ao tema ganham mais visibilidade. No caso da diversidade sexual, o mês escolhido é junho e o motivo para isso remonta a um fato ocorrido em Nova Iorque na década de 1960.

Na época, nos Estados Unidos, o relacionamento entre pessoas do mesmo sexo e o uso de roupas que não fossem condizentes com o gênero de nascimento eram proibidos. Assim, homossexuais, transexuais, travestis e outros sofriam forte repressão por parte da polícia.

Em Nova Iorque, havia apenas um lugar em que elas podiam ser quem são sem sofrerem retaliações, tratava-se de um bar chamado Stonewall Inn. O estabelecimento mantinha um acordo com a polícia local, então, lá essas pessoas se sentiam seguras.

Com o passar do tempo, o bar foi ficando cada vez mais conhecido, o que chamou a atenção de um parte da polícia ainda mais conservadora que o padrão da época. Assim, no dia 28 de junho de 1960, o local foi invadido e vários frequentadores foram presos.

Muitos ficaram revoltados com aquela situação e se uniram para protestar ao longo de vários dias pelos direitos dos homossexuais. Esse movimento deu origem à Frente de Libertação Gay dos Estados Unidos e a outras organizações de ativistas. Alguns anos depois, junho ficou conhecido como o mês da diversidade.

Gostou do conteúdo? Aproveite para navegar pelo blog do Hexag Medicina e conferir mais artigos informativos

Retornar ao Blog