10/01/2022 Atualidades

Entenda como é o setor de energia eólica no Brasil

Escrito por Hexag Educação @hexagmedicina
Entenda como é o setor de energia eólica no Brasil

A energia eólica, resultante da ação dos ventos, pode ter um papel determinante para combater as mudanças climáticas. No Brasil, esse foi um dos setores mais impulsionados em 2020, na contramão de vários segmentos que sofreram com a crise trazida pela pandemia. Continue lendo para entender melhor como é esse setor em nosso país.

Energia eólica no Brasil

O setor de energia renovável como um todo recebeu bastante impulso na economia brasileira em 2020. Contudo, o destaque ficou mesmo para o setor de energia eólica. Basicamente, a força do vento movimenta turbinas que acionam um gerador de conversão de massas de ar em energia elétrica.

No Brasil, a energia eólica é a segunda principal fonte energética, ficando atrás somente das hidrelétricas. A região Nordeste é a maior produtora dessa fonte de energia, compreende o uso de 89% dela. Os estados que se destacam como maiores produtores são: Rio Grande do Norte, Ceará, Piauí, Bahia e Maranhão. 

Dentre as principais vantagens da energia eólica está o fato de ser uma fonte energética limpa e que não emite gases do efeito estufa. Sendo assim, é uma forma bastante interessante de assegurar o abastecimento energético sem acarretar em mais mudanças climáticas. 

Energia econômica

A energia eólica é um tipo de energia barata, o que se reflete na redução da conta de luz dos usuários. Em um momento de forte crise econômica e hídrica (os reservatórios das hidrelétricas operam em níveis baixíssimos), é bastante interessante direcionar os esforços e investimentos para essa fonte energética. 

A região Nordeste e a energia eólica

A região Nordeste, reconhecida pela abundância de ventos, tem conseguido atender a demanda energética local com essa fonte. Para se ter uma ideia, entre os meses de agosto e setembro ocorre a chamada “safra dos ventos” que nada mais é do que uma temporada de ventos fortes. Essa região desponta como uma produtora eficiente de energia sustentável.

A cada ano, a região Nordeste bate novos recordes de geração de energia renovável, já conseguindo suprir quase 100% da demanda da população local. Atualmente, o Brasil tem em torno de 45% da sua energia elétrica produzida de forma sustentável. Estima-se que conforme o tempo passe, a energia eólica irá representar uma fatia cada vez mais generosa do total de energia produzida em nosso país.

Os números da energia eólica atualmente

Com grandes possibilidades de crescimento, a energia eólica detém, atualmente, 10,7% do total de energia gerada em território nacional. O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) prevê o aumento dessa porcentagem para 13,6% até o final de 2025.

Já estão sendo feitos investimentos nesse setor que podem levar a esse crescimento. No ano de 2021, as usinas eólicas representaram mais de 70% das usinas construídas no país. 

História da energia eólica no Brasil

Em 2002, com a criação do Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia Elétrica (Proinfa), a energia eólica começou a despontar para o sucesso no Brasil. Esse projeto objetivava aumentar o uso de matrizes sustentáveis, como a eólica e a solar. No primeiro leilão, ocorrido em 2009, foram captados R$ 9,4 bilhões de investimentos.

Contudo, nesse momento a produção de energia eólica ainda era quase cinco vezes mais cara do que a hidrelétrica. No decorrer dos anos, o setor foi crescendo tanto pelo desenvolvimento de novas tecnologias quanto pelo maior interesse internacional. No período entre os anos de 2015 e 2019, o setor de energia eólica foi responsável por gerar mais de 652 bilhões de dólares em investimentos. 

Ascensão do setor de energia eólica

Estima-se que esse setor mobilize em torno de R$ 14 bilhões de reais atualmente. Foi aprovado, em 2020, pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) um financiamento de mais de um bilhão de reais para o Conjunto Eólico Campo Largo, na Bahia. Esse conjunto terá a capacidade de produzir energia para abastecer 850 mil domicílios baianos. 

O Laboratório de Aerodinâmica Aplicada de Furnas, subsidiária da Eletrobrás em Goiás, vem se dedicando ao projeto de construção de torres eólicas que podem representar economia e maior vida útil dos aparelhos. O programa pode, com o passar do tempo, facilitar que torres mais baixas sejam instaladas em locais mais afastados.

Energia eólica no cenário mundial

A Escócia concluiu a construção do maior parque eólico offshore (no mar, longe da costa) do mundo. O ambiente marinho tem ventos constantes, sendo um lugar interessante para a geração desse tipo de energia. Chamado de “Kincardine Offshore Windfarm”, esse parque tem a capacidade de produzir energia para abastecer até 55 mil residências. 

No Brasil, há 22 projetos para geração de energia eólica em alto-mar, contudo, é necessário que o mercado seja regulado para que eles possam ser colocados em ação.

Em 2011, foram instaladas as primeiras unidades eólicas no Brasil, de lá para cá a capacidade dessa fonte foi multiplicada pelo menos 18 vezes. Em um momento em que o país mergulha em uma das piores crises hídricas, a energia eólica pode ser a solução.

Fontes de energia renovável como a eólica tendem a crescer exponencialmente nos próximos anos.

Retornar ao Blog