Início / Blog / Atualidades / O que é bullying?

O que é bullying?

Responsive Image

Bullying é um assunto bastante atual e que, por isso, pode ser abordado em questões do Enem ou mesmo ser tema da redação. Por isso, entender o que é bullying, como ele acontece e suas consequências é muito importante para estar preparado caso esse assunto apareça na prova. Siga a leitura para saber mais.

Entenda o que é bullying e como ele acontece

A palavra bullying vem do inglês e se originou através da expressão bully, que significa valentão, o que já nos dá ideia de como o problema, que é comum em escolas, se dá. Geralmente, um ou mais alunos maiores e mais fortes, intimidam outro que se mostra mais frágil e tímido, através de insultos, xingamentos e, em alguns casos, até agressões físicas.
 
Essa é uma questão um pouco mais delicada do que uma simples briga de escola que termina na diretoria, porque são agressões recorrentes, que podem se estender por muito tempo se nada for feito. Como o agredido costuma sentir medo e vergonha da situação, ele se fecha e não fala a respeito com os pais e professores.
 
Exatamente por ser um problema muitas vezes silencioso, o bullying precisa ser discutido em casa e nas escolas. Assim, através do diálogo, as crianças e adolescentes se sentem mais confiantes para identificarem casos, sendo eles as vítimas ou um colega, e procurarem ajuda logo que as intimidações começarem.

Consequências do Bullying

Para os adultos, muitas vezes é complicado entender o quanto o bullying pode gerar sofrimento para as crianças e adolescentes. Muitos, inclusive, minimizam dizendo que sofreram insultos na infância e que não se abalaram, que se trata de uma brincadeira que não deve ser levada a sério.
 
Por mais que, para alguns jovens, o bullying possa ser enfrentado com naturalidade, não é essa a realidade da maioria. Crianças que são alvo de intimidação na escola ou em outros círculos sociais, podem ter muita dificuldade de fazer amigos e construírem laços de confiança que são fundamentais para seu desenvolvimento e bem-estar.
 
Isso se deve, especialmente, à baixa autoestima que as agressões constantes geram. O fato de ouvirem com frequência que são feias, incapazes, burras, entre outros xingamentos, faz com que absorvam e acreditem nessas palavras. Então, como forma de proteção e, até, por se sentirem indignas, se isolam do restante do mundo.
 
As vítimas de bullying podem experimentar diversos tipos de emoções, como raiva, frustração, solidão, angústia, chegando a desenvolver quadros de ansiedade e depressão. Como forma de aliviar essas sensações, podem começar a faltar aulas sem o conhecimento dos pais, fazer uso de álcool e drogas, e, até mesmo, atentarem contra a própria vida.
 
Se nada for feito, essas vítimas podem desenvolver um comportamento que é chamado por especialistas de desamparo aprendido. Elas passam a acreditar que não existe solução para os insultos e agressões que sofrem, como se isso fizesse parte da vida delas e que não há outro caminho, a não ser aceitarem caladas.

Cyberbullying: o bullying nas redes sociais

A internet nos permite romper as barreiras da distância física e nos conectarmos com pessoas de qualquer lugar do mundo. Entretanto, assim como é possível usar a rede para realizar tarefas de forma prática e manter contato com quem amamos, elas também podem ser utilizadas para fazer o mal.
 
Além da forma tradicional de bullying, que geralmente acontece nas escolas, há alguns anos o problema começou a surgir nas redes sociais. Apesar de o ambiente virtual não apresentar riscos de agressão física, a humilhação através da exposição pode trazer consequências tão graves quanto.
 
Aliás, existem casos em que os agressores, além de intimidarem pessoalmente, continuam os ataques via internet, através de perfis falsos, exposição de vídeos e fotografias das vítimas em situações de vulnerabilidade, comentários ofensivos, entre outras formas.

O bullying é um problema que precisa ser sempre combatido

É muito importante que as famílias e toda a comunidade escolar estejam cientes sobre as consequências do bullying e busquem manter o diálogo aberto com as crianças e os adolescentes, tanto para que não se tornem agressores quanto para que peçam ajuda caso se tornem vítimas dessa situação.
 
Não há outra maneira mais eficaz para combater o bullying do que a conscientização, o acolhimento, a construção de laços de confiança com os jovens, que são indivíduos que estão passando por uma etapa da vida em que o seu caráter está sendo formado. Minimizar o problema não faz com que ele se torne menor ou desapareça, pelo contrário.
 
Vale dizer que, apesar de ser uma questão mais comum entre crianças e adolescentes, também pode ocorrer entre adultos, gerando consequências tão graves quanto as apresentadas ao longo do artigo.
 
Você já tinha parado para pensar sobre todas as consequências que o bullying pode trazer para a vida das vítimas? Para conferir conteúdos sobre outros assuntos da atualidade que podem ser temas de redação do Enem e de vestibulares, navegue pelos posts do Blog do Hexag Medicina!

Os artigos assinados são de responsabilidade dos autores e não refletem necessariamente a opinião do Hexag.

Compartilhe

Sobre o autor

user

Comentários

Responsive Image

Bitnami