05/04/2022 Atualidades

Tema: debate sobre a implementação da telemedicina no Brasil

Escrito por Hexag Educação @hexagmedicina
Tema: debate sobre a implementação da telemedicina no Brasil

A pandemia de Covid-19 exigiu algumas medidas essenciais para o controle da propagação da doença. Em tempos de instabilidade sanitária, a telemedicina ou atendimento remoto, passou a ser uma alternativa. Com o vislumbre do fim da pandemia, surge a dúvida a respeito da possibilidade de manter esse sistema de atendimento não-presencial.

Acredita-se que o sistema tem muito a agregar não apenas em situações de pandemia, mas também como uma forma de ampliar o alcance social da medicina. Esse tema ainda suscita debates quanto à sua aplicabilidade e eficiência. Continue lendo para entender mais sobre a sua possível implementação.

O que é telemedicina? 

O termo telemedicina é formado a partir da junção da palavra grega “tele” e “medicina”. Tele significa distância, logo telemedicina é a medicina praticada à distância através do uso de meios de comunicação interativos. O profissional de saúde oferece assistência médica e cuidados ao paciente não-presencialmente. 

Esse método de atendimento foi ganhando forma de acordo com a evolução dos meios de comunicação. Com computadores, smartphones e principalmente internet, é possível realizar atendimentos sem estar fisicamente com os pacientes. A telemedicina surgiu entre os anos 60 e 70. 

Embora tenha dado os seus primeiros passos na década de 60, foi nas duas últimas décadas que a modalidade se expandiu. Profissionais da área de saúde passaram a considerar esse tipo de medicina como uma possibilidade efetiva para acompanhar e atender seus pacientes. 

A telemedicina no Brasil e no mundo

Essa modalidade de medicina já é uma realidade nos Estados Unidos, Canadá, França, Alemanha, Inglaterra e países escandinavos. Coreia do Sul, Singapura e Japão têm a telemedicina  como uma aliada para o atendimento de suas populações. Por sua vez, a telepsicologia é utilizada em países como Nova Zelândia e Austrália. 

O Brasil passou a considerar a telemedicina como uma modalidade válida devido à propagação do novo coronavírus. O Conselho Federal de Medicina (CFM) validou a modalidade como uma opção válida para o diagnóstico e avaliação de pacientes. Essa medida objetivava evitar deslocamentos e aglomerações em casos em que não fosse iminente o atendimento presencial. 

A telemedicina pode ser realizada em três modalidades de acordo com o documento encaminhado pelo CFM: 

Teleorientação 

Os médicos são autorizados a realizar atendimento de orientação e encaminhamento à distância de pacientes que estejam isolados. 

Telemonitoramento

Trata-se da realização de monitoramento da saúde e/ou doença dos pacientes que se encontram sob orientação/supervisão médica. 

Teleinterconsulta

Permite a troca de opiniões e informações entre médicos para que o diagnóstico seja facilitado e aprimorado. 

Também é permitida a emissão de laudos à distância em situações reconhecidas como emergenciais ou pelo pedido do médico responsável, isso já era previsto desde 2002, na primeira resolução referente à telemedicina pelo CFM. 

Quais são os benefícios da telemedicina?

A seguir apresentaremos alguns dos benefícios do uso da telemedicina no Brasil.

1. Atendimento democratizado

O atendimento médico realizado pela telemedicina pode chegar a regiões mais distantes que não têm fácil acesso ao atendimento convencional. É uma forma de superar eventuais barreiras geográficas que impedem alguns pacientes de marcar consultas presenciais com especialistas. 

Em boa parte desses casos está envolvido o deslocamento de idosos e pessoas com dificuldades de locomoção, demandando o custeio pelo sistema de saúde pública. Logo, a adoção da telemedicina também contribui com a redução de custos aos cofres públicos. 

2. Monitoramento de mais qualidade do paciente

A telemedicina permite realizar um monitoramento mais frequente da saúde do paciente. Ficou evidente a relevância desse acompanhamento, especialmente em casos de doenças virais como a Covid-19. O médico pode acompanhar a evolução em tempo real e o possível agravamento, sem que seja necessário comparecer à unidade de saúde. 

3. Acesso facilitado aos dados do paciente

O uso da tecnologia na medicina contribui para facilitar o acesso ao histórico de exames, prontuários, entre outros dados essenciais do paciente. A centralização de dados torna possível ao médico elaborar um diagnóstico mais alinhado com as condições do paciente. 

4. Redução da sobrecarga do sistema de saúde

Com a telemedicina é possível reduzir o fluxo de pessoas nas unidades de saúde, algo imprescindível em períodos epidêmicos ou pandêmicos. Os pacientes podem ser orientados remotamente pelos profissionais de saúde não gerando aglomeração. 

As dificuldades da implementação da telemedicina no Brasil

Embora a telemedicina ofereça uma série de vantagens, é essencial apontar a existência de barreiras para a sua plena implementação. Dentre as principais barreiras podemos citar a falta de órgãos reguladores, questões políticas, problemas de infraestrutura tecnológica, carência de profissionais treinados e a resistência à adesão a esse modelo.

Os órgãos reguladores são essenciais para a padronização do atendimento de forma a proteger os profissionais e os pacientes. Além disso, se não houver profissionais devidamente habilitados para aplicar a telemedicina, dificilmente serão alcançados resultados promissores. Há poucas instituições de ensino superior que oferecem essa capacitação em sua grade curricular.

No tocante à infraestrutura é importante observar que as regiões que mais se beneficiariam da telemedicina são também as que possuem baixa disponibilidade de Tecnologia de Comunicação (TIC). Sem computadores e uma boa conexão de internet é impossível implementar e executar o teleatendimento.

Por fim, a falta de conhecimento a respeito do que é telemedicina pode levar os pacientes a serem mais resistentes à mudança. Inclusive, esse cenário pode gerar uma desvalorização do profissional de saúde. 

A telemedicina é uma alternativa válida, mas é importante vencer as barreiras atuais!

Retornar ao Blog