10/08/2021 Biologia

Como são os fluxos de energia no ecossistema?

Escrito por Hexag Educação @hexagmedicina
Como são os fluxos de energia no ecossistema?

O fluxo de energia é essencial para o funcionamento e manutenção dos ecossistemas. Compreender como funciona esse fluxo é relevante para entender, inclusive, o conceito de ecossistema. Continue lendo para saber mais a respeito desse tópico crucial para a biologia.

Fluxo de energia nos ecossistemas

Os ecossistemas consistem em sistemas abertos em que há entradas e saídas de energia. Seu funcionamento correto e manutenção dependem da energia que flui entre os organismos que fazem parte de uma comunidade biológica. O sol é a principal fonte de energia.

Transformação de energia solar em energia química

Organismos fotossintetizantes são responsáveis por transformar a energia solar em energia química, usada para sintetizar matéria orgânica por meio do processo de fotossíntese. Uma curiosidade é que esses organismos captam apenas 2% de toda a energia solar que chega à Terra. Esses organismos são classificados como autotróficos (aqueles que produzem seu próprio alimento).

Há bactérias autotróficas que realizam um processo denominado quimiossíntese, que consiste na produção de matéria orgânica sem usar energia luminosa. Os organismos autotróficos (os organismos produtores dos ecossistemas) liberam parte da energia fixada como energia química na matéria orgânica através do processo de respiração celular. A energia não eliminada é armazenada nesses organismos, de forma que ocorre o aumento da sua biomassa.

Consumidores primários

Pelo fato de não conseguir sintetizar matéria orgânica, os animais são chamados de heterotróficos. O seu alimento é obtido através do consumo de outros organismos. Isso significa que, quando se alimentam de vegetais (produtores), estão ingerindo a energia química que ficou armazenada nos compostos orgânicos. Nesse caso, são chamados de consumidores primários (herbívoros). Os chamados consumidores primários também liberam energia na forma de calor e estocam outra parte.

Quando o consumidor primário se alimenta de um organismo fotossintetizante, está consumindo a energia química armazenada. Os consumidores usam a matéria orgânica para produzir energia e para realizar certos processos relevantes para a sua sobrevivência. Parte dessas substâncias ingeridas é eliminada na forma de urina e fezes. A energia dos consumidores primários é então passada para os consumidores secundários.

Consumidores secundários

Os consumidores secundários são animais que se alimentam dos consumidores primários, recebendo, dessa forma, a energia que ficou armazenada.

Seguindo o fluxo de energia

Os consumidores secundários se tornarão alimento para os consumidores terciários e, assim, sucessivamente.

Cadeia alimentar

A passagem de energia pelos organismos que consomem e, posteriormente, são consumidos é chamada de cadeia alimentar. Cada posição ocupada pelos organismos no decorrer dessa cadeia é chamada de nível trófico. Os produtores (bases das cadeias alimentares) estão no 1° nível trófico. Por sua vez, os consumidores primários estão no 2° nível trófico, os consumidores secundários estão no 3° nível e assim por diante.

É importante esclarecer que o nível trófico ocupado por uma espécie se refere à sua função em uma determinada cadeia. Por esse motivo, a mesma espécie pode estar em diferentes níveis tróficos de acordo com a cadeia alimentar considerada.

Organismos decompositores

Responsáveis por decompor a matéria orgânica, os organismos decompositores liberam sais minerais e outros elementos através do seu trabalho. Esses produtos podem ser usados novamente pelo meio.

Os decompositores estão no último nível de transferência de energia e podem atuar em qualquer nível da cadeia alimentar, podendo decompor a matéria orgânica de produtores e consumidores mortos, e receber energia de todos os níveis tróficos. É por esse motivo que, em muitos casos, os decompositores não são representados em cadeias alimentares ou aparecem representados em um nível paralelo aos demais.

Funcionamento do fluxo de energia

Em uma representação de cadeia alimentar, a direção da seta aponta sempre para o nível trófico que irá receber a energia. A quantidade de energia que flui em uma cadeia alimentar vai diminuindo de acordo com a passagem de um nível trófico para o outro.

Essa situação se dá pelo fato de que os organismos de cada nível trófico utilizam parte da energia que assimilaram na realização das suas próprias atividades metabólicas, tendo como consequência a liberação de energia na forma de calor.

Os consumidores primários, dessa forma, têm sempre acesso a uma quantidade maior de energia do que os consumidores secundários e assim por diante. O fluxo de energia é sempre unidirecional, haja vista que a energia disponível para um nível trófico específico não irá retornar para o nível trófico anterior.

Produtividade Primária Bruta (PPB)

Recebe o nome de Produtividade Primária Bruta (PPB) o total de biomassa que os produtores produzem a partir da assimilação da energia solar em uma determinada área e espaço de tempo.

Produtividade Primária Líquida (PPL)

Vale relembrar que parte dessa energia é usada pelos organismos e a outra parte fica disponível para os consumidores primários, recebendo o nome de Produtividade Primária Líquida (PPL). Logo, a PPL é equivalente à PPB, com a subtração do gasto na respiração pelos produtores.

O fluxo de energia é a base para o funcionamento de um ecossistema! Para conferir mais conteúdos e dicas, navegue pelo blog do Hexag Medicina!

Retornar ao Blog