20/05/2021 Geografia

El Niño e La Niña: Entenda seus impactos

Escrito por Hexag Educação @hexagmedicina
El Niño e La Niña: Entenda seus impactos

El Niño e La Niña são dois fenômenos atmosférico-oceânicos que impactam o clima brasileiro. É bastante comum assistir a matérias no jornal em que se fala a respeito do aumento das temperaturas no inverno ou na ocorrência de chuvas atípicas em decorrência desses fenômenos.

Como esse é um tema bastante recorrente no Enem e vestibulares, vamos explicar com mais detalhes os impactos do El Niño e da La Niña.

O que é El Niño?

O fenômeno conhecido como El Niño se caracteriza pelo aquecimento atípico das águas do Oceano Pacífico. Trata-se de um fenômeno que gera alterações em escala global. O El Niño modifica os padrões de vento em escala mundial, o que atinge também a frequência de chuvas. Esse fenômeno atmosférico-oceânico também tem influência sobre a temperatura. Muitas pessoas têm suas vidas impactadas por ele.

Para sua identificação são utilizados cálculos de índices, dentre os quais está o índice de Oscilação Sul (cálculo da diferença da pressão entre as regiões de Taiti e Darwin). O El Niño faz com que a temperatura das águas do oceano aqueça, algo que influencia a evaporação e a posterior formação de nuvens de chuva.

O que é La Niña?

O fenômeno chamado La Niña é exatamente o oposto ao El Niño, consiste no resfriamento atípico das águas do Oceano Pacífico. Esse fenômeno atmosférico-oceânico também altera os padrões dos ventos e chuvas das regiões tropicais e de latitudes médias.

Os ventos decorrentes da ação da La Niña são mais intensos, podendo gerar impactos consideráveis nas cidades e regiões de campo atingidas. Inclusive, podem interferir na produtividade das lavouras. As chuvas são intensificadas pela ação da La Niña, em particular na Indonésia e na Austrália. O fenômeno acarreta impactos mundiais e alguns podem ser observados no Brasil.

El Niño e La Niña: como se formam?

El Niño e La Niña são fenômenos atípicos do clima que são influenciados por diversos fatores ocorridos no Oceano Pacífico, como massas de ar, chuvas, pressão, temperatura, entre outros. Situações anormais do clima são resultantes de anomalias no sistema atmosférico, isso faz com que haja mudanças em diferentes continentes.

O El Niño resulta do aquecimento anormal do Oceano Pacífico enquanto a La Niña vem do resfriamento anormal do mesmo oceano. Esses fenômenos não são contínuos, as alterações são cíclicas, podendo se repetir em um período que varia entre três e sete anos.

O El Niño é mais frequente do que a La Niña devido ao aquecimento global. Também é um fator de influência a chamada oscilação decadal do Pacífico, que dura em média 20 anos nas águas desse oceano.

El Niño e La Niña: impactos

Os impactos desses dois fenômenos afetam de forma considerável a vida de muitas pessoas em diferentes partes do mundo. O aquecimento ou e.666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666666sfriamento das águas do Oceano Pacífico resultam em alterações do clima, períodos de chuva podem se transformar em períodos de seca, períodos mais secos podem apresentar chuvas em excesso e até o inverno pode ter picos de temperaturas mais altas.

Há uma série de prejuízos para a sociedade como, por exemplo, o aumento da incidência de problemas respiratórios na população em decorrência da seca ou vento fora do normal. Também pode levar à redução da produção agrícola. Diferentes tipos de culturas demandam condições climáticas favoráveis para que possa se desenvolver e resultar em boa produção.

Quando ocorrem alterações são geradas perdas e prejuízos para os produtores rurais. Além disso, pode haver dificuldade para abastecer o mercado interno ou externo. Ventos intensos podem acarretar danos nas cidades atingidas com destelhamento de casas. Por sua vez, as chuvas intensas geradas pelas alterações podem levar a deslizamentos e enchentes.

Os dois fenômenos podem impactar de forma preocupante diversos países e, por isso, quando há identificação de sua ocorrência, são noticiados com alertas nas previsões do tempo. Esses fenômenos deixam o clima bastante diferente.  

Quais são os impactos do El Niño e da La Niña no Brasil?

O Brasil, por ser um país de dimensões continentais, é impactado de diferentes formas pelos dois fenômenos. Esse é um tema recorrente nas provas do Enem e vestibulares. A seguir apresentaremos as principais consequências para cada região do país.

El Niño e seus impactos nas diferentes regiões do Brasil

Região Norte

A região Norte do Brasil se caracteriza por ter grande volume de chuvas, no entanto, o El Niño acaba gerando redução do índice de precipitação, em especial no norte e leste da Amazônia. Dessa forma, há maior seca, o que se torna um fator de risco para o aumento de incêndios florestais.

Região Nordeste

O El Niño impacta especialmente as áreas centrais e norte da região, tornando a seca mais intensa em estados que já enfrentam esse problema.

Região Centro-oeste

Essa é uma região pouco afetada pelo El Niño, dentre os impactos que podem ser percebidos estão o aumento das chuvas e da temperatura, em especial no estado do Mato Grosso do Sul.

Região Sudeste

A influência mais perceptível do El Niño nessa região é o aumento da temperatura média.

Região Sul

No Sul do Brasil são observadas chuvas acima da média e aumento da temperatura.

La Niña e seus impactos nas diferentes regiões do Brasil

Região Norte

A La Niña leva a um aumento do volume de chuvas na Amazônia, região em que já há elevados índices pluviométricos. Isso acarreta cheias nos rios.

Região Nordeste

Eleva a quantidade de chuvas, gerando enchentes em diversos municípios do litoral nordestino.

Região Centro-oeste

Gera tendência de estiagem, no entanto, há poucas alterações relacionadas a chuva e temperatura.

Região Sudeste

A meteorologia não detectou nenhuma mudança causada pela La Niña na região.

Região Sul

Contribui para que haja forte estiagem, em especial durante o inverno, ocasionando uma série de prejuízos no campo.

Tanto o El Niño quanto a La Niña impactam significativamente o clima em diferentes partes do mundo! Para conferir mais conteúdos informativos, navegue pelo blog do Hexag Medicina!

Retornar ao Blog