12/01/2022 Geografia

Globalização: o que é, origem, efeitos

Escrito por Hexag Educação @hexagmedicina
Globalização: o que é, origem, efeitos

A palavra globalização tem sido amplamente utilizada nas últimas décadas para descrever a nova lógica das relações entre os países em diferentes âmbitos. Continue lendo para entender o que esse termo significa, qual é a sua origem e os seus efeitos.

O que é globalização?

Globalização nada mais é do que um processo em que há a ausência ou a redução das barreiras econômicas e imigratórias entre diferentes nações. Caracteriza-se por promover o aprofundamento das relações econômicas, culturais, sociais e políticas entre diferentes povos. Para compreender melhor o conceito é importante se aprofundar em suas principais características.

Globalização: conheça as suas principais características

A seguir iremos explicar as principais características da globalização.

Características econômicas

A característica principal é a união do mercado mundial por meio de blocos econômicos e a eliminação das fronteiras comerciais entre os seus membros. Isso faz com que haja o aumento da concorrência econômica, o que leva a um nível elevado de competição que, por sua vez, se reflete na consequente exploração da mão de obra. 

Há um paradoxo no mundo globalizado, pois ao mesmo tempo em que se valoriza a qualificação, também se reduzem os direitos trabalhistas. Dessa forma, muitos profissionais se veem “empurrados” para o mercado informal. 

Características políticas

Boa parte das decisões políticas e econômicas que impactam o mundo é tomada em fóruns e organismos internacionais. Os blocos econômicos tentam através de parlamentos dar participação política aos cidadãos. 

Características de comunicação

A difusão da internet e dos smartphones contribuiu para ampliar o efeito da globalização. As informações são transmitidas instantaneamente. 

Qual é a origem da globalização?

A origem da globalização remonta ao período mercantilista durante o século XV. Vários países europeus iniciaram longas viagens marítimas com o objetivo de conquistar territórios e riquezas. No século XVIII, houve um aumento no fluxo de força de trabalho entre diferentes países e continentes, particularmente nas novas colônias europeias na Ásia e na África. 

Nessa fase, os europeus entraram em contato com povos de outros continentes, estabelecendo relações comerciais e culturais em níveis ainda não imaginados. Invenções como a eletricidade, ferrovias e navios a vapor permitiram, no século XIX, diminuir as distâncias de maneira que os produtos pudessem chegar a lugares mais ermos. 

Neoliberalismo e a globalização

As transformações nas esferas política e econômica pelo que o mundo passou foram intensificadas no final do século XX. Destacamos a chamada Guerra Fria, ocorrida após o término da Segunda Guerra Mundial. Houve uma divisão em blocos entre os países que adotaram o capitalismo, liderados pelos Estados Unidos, e o socialismo, liderados pela União Soviética. 

Quando a União Soviética chegou ao fim, não havia mais um mundo dividido por uma barreira ideológica. As nações que compuseram o bloco comunista adotaram o liberalismo como forma de governo e o capitalismo como política econômica. 

Esses países passaram a ser conduzidos por medidas neoliberais que priorizam a abertura dos mercados nacionais, levando ao fim das empresas estatais, redução de direitos trabalhistas, entre outras ações. O neoliberalismo impulsionou o processo de globalização econômica. 

Quais foram os efeitos da globalização?

Abaixo explicaremos alguns dos principais efeitos da globalização.

Política multipolar no mundo

Quando a União Soviética deixou de existir, o mundo deixou de se caracterizar pela bipolaridade política. Isso quer dizer que não há mais apenas dois países com significativo poder internacional. Hoje em dia, países como Alemanha, Inglaterra e China possuem poder político em escala global. 

Um dos efeitos da multipolaridade, advinda com a globalização, foi a necessidade de elaborar políticas reguladoras para tornar as trocas comerciais mais fáceis, solucionando eventuais conflitos de interesse. 

As nações buscaram por meio de instituições internacionais maneiras de delimitar regras comuns para essas trocas. Grupos como o G-8 e o G-20 são exemplos dessa busca por regulação, pois objetivam discutir os melhores caminhos para relações comerciais entre diferentes países. 

Globalização cultural

A troca de cultura entre países, independentemente de suas distâncias geográficas e fronteiras, é um dos efeitos mais observáveis da globalização. Inclusive, essa troca contribuiu para acelerar a Terceira Revolução Industrial. A evolução de tecnologias, como a internet, por exemplo, permitiu que o ser humano esteja a par de notícias em tempo real.

No entanto, fica o adendo de que o processo de compartilhamento de cultura ainda ocorre de forma desigual. Nações econômicas com maiores recursos têm acesso à maior produção e disseminação cultural. Logo, alguns países têm maior influência cultural do que outros. 

Militarismo 

Ao longo do século XX ocorreram duas guerras mundiais e mais de quatro décadas de tensão entre duas poderosas nações (Guerra Fria). Uma das consequências desses conflitos é a relação direta entre poder militar e poder econômico. Para os países tornou-se relevante, além de garantir o poder econômico, desenvolver ao máximo a sua tecnologia militar. 

A nação que mais gasta com militarismo é os Estados Unidos, que detém bases militares espalhadas pelos diferentes hemisférios do Ocidente ao Oriente. Após o fim da Segunda Guerra Mundial, foi criada a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), cujo objetivo era a proteção mútua dos países contra possíveis ameaças externas. Esse é um exemplo de instituições militares internacionais que surgiram no contexto da Guerra Fria e que se mantêm até hoje. 

No contexto do militarismo não podemos deixar de citar as armas nucleares. O Tratado de Não Proliferação (TNP) foi firmado em 1968, com o objetivo de que nações que detinham esse armamento evitassem que outras nações utilizassem a tecnologia. É um assunto em pauta, pois há países que não assinaram o tratado e que afirmam ter bombas nucleares, como é o caso da Coreia do Norte

Agora você já conhece um panorama completo sobre a globalização!

Retornar ao Blog