03/12/2020 Geografia

O que é OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico)?

Escrito por Hexag Educação @hexagmedicina
O que é OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico)?

Se você já ouviu essa sigla por aí e ficou se perguntando o que é OCDE, saiba que se trata de um grupo de 37 países que foi formado com o objetivo de estimular o comércio entre eles e, consequentemente, fortalecer a economia. Siga a leitura para entender melhor como essa organização foi formada, quais são os seus membros e sua influência econômica mundial.

O que é OCDE e qual a sua função?

A OCDE – Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico é conhecida internacionalmente como OECD (Economic Co-operation and Development de Développement Économiques). Sua criação remonta a época logo após a Segunda Guerra Mundial, em que os países europeus chegaram à conclusão de que deveriam apoiar as nações que saíram derrotadas do conflito em vez de puni-las.
 
Assim, em 1948, foi criado aquele que seria o embrião da OCDE, a Organisation for European Economic Co-operation – OEEC (Organização para Cooperação Econômica Europeia), que foi financiada pelos Estados Unidos. O objetivo era ajudar a Europa, que havia sido destruída pela guerra, a se reerguer e, assim, evitar mais décadas de conflito. Como os resultados obtidos foram muito positivos, os Estados Unidos, além de financiar, quiseram se tornar parte da organização, assim como o Canadá.
 
Com a chega dos países que não eram europeus, o nome foi alterado para OCDE – Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico, em 30 de setembro de 1961. Com o passar do tempo, outras nações de juntaram ao órgão, que hoje conta com 37 membros, entre os quais estão países de continentes como Oceania, América e Ásia, que representam a maior parte das economias mais desenvolvidas do mundo.

Países que fazem parte da OCDE

Atualmente, os seguintes países são membros da OCDE:

  • Alemanha (membro fundador);
  • Austrália;
  • Áustria (membro fundador);
  • Bélgica (membro fundador);
  • Canadá (membro fundador);
  • Chile;
  • Colômbia;
  • Coreia do Sul;
  • Dinamarca (membro fundador);
  • Eslováquia;
  • Eslovênia;
  • Espanha (membro fundador);
  • Estados Unidos (membro fundador);
  • Estônia;
  • Finlândia,
  • França (membro fundador);
  • Grécia (membro fundador);
  • Hungria;
  • Irlanda (membro fundador);
  • Islândia (membro fundador);
  • Israel;
  • Itália (membro fundador);
  • Japão;
  • Letônia;
  • Lituânia;
  • Luxemburgo (membro fundador);
  • México;
  • Noruega;
  • Nova Zelândia;
  • Países Baixos (membro fundador);
  • Polônia;
  • Portugal (membro fundador);
  • Reino Unido (membro fundador);
  • República Tcheca;
  • Suécia (membro fundador);
  • Suíça (membro fundador);
  • Turquia (membro fundador).

Existe uma lista de países que são membros em potencial, ou seja, que podem ser aceitos pela OCDE ao longo dos próximos anos conforme forem se enquadrando às determinações da organização. São eles:

  • Argentina;
  • Brasil;
  • Bulgária;
  • Costa Rica;
  • Croácia;
  • Peru
  • Romênia;
  • Rússia.

Objetivos da OCDE

O objetivo da OCDE é criar políticas que promovam a prosperidade, a igualdade, a oportunidade e o bem-estar para todos.  Ao longo dos anos, a organização presenciou o aumento do padrão de vida de seus países membros, o que contribuiu para a expansão do comércio mundial e a promoção da estabilidade econômica.
 
O órgão publica relatórios econômicos, bancos de dados com estatísticas, análises e previsões a respeito das perspectivas de crescimento econômico em todo o mundo. Os relatórios costumam tanto ser regionais e nacionais, quanto globais, o que oferece um panorama interessante até mesmo para nações que não fazem parte do grupo.
 
Os representantes da OCDE analisam e relatam o impacto das questões de política social, como a relação entre a discriminação de gênero e o crescimento econômico, além de recomendações de políticas destinadas a promover o desenvolvimento respeitando as questões ambientais, por exemplo. A organização também busca combater a ocorrência de crimes financeiros em todo o mundo.
 
A chamada “lista negra da OCDE” divulga países que são considerados como paraísos fiscais, que são aqueles em que as leis são mais brandas para capitais estrangeiros e a tributação sobre eles baixa ou nula. Em 2009, essa lista foi zerada porque todos os países citados se comprometeram em seguir os padrões de transparência impostos pela organização.
 
Juntamente com o G20 (grupo formado pela União Europeia e os 19 países com as maiores economias do mundo), a OCDE está realizando esforços para incentivar uma reforma tributária global e acabar com a evasão fiscal por parte das empresas. Eles estimam que esses casos de evasão custam à economia mundial de 100 a 240 bilhões de dólares todos os anos.

Relação entre o Brasil e a OCDE

Como você deve ter visto, o Brasil figura a lista de países que são membros em potencial da OCDE. Essa relação começou em 1996, quando nosso país entrou para o Comitê do Aço, que faz parte da organização.
 
Em 2012, o Brasil passou a integrar o Programa de Engajamento Ampliado, e em 2015, assinou um acordo de cooperação que mostra seu comprometimento com as regras da OCDE. Tudo isso aumenta as chances de ser aceito no grupo como membro.
 
Para conferir mais artigos sobre geopolítica, além de dicas para se dar bem no Enem e no vestibular, navegue por outros posts do Blog do Hexag Medicina!

Retornar ao Blog