26/01/2022 História

Grécia Antiga: sociedade, política, cultura e economia

Escrito por Hexag Educação @hexagmedicina
Grécia Antiga: sociedade, política, cultura e economia

O período que entrou para a história como Grécia Antiga é aquele que se estende de aproximadamente 2000 a.C. a 1200 a.C.. É importante esclarecer que esse termo não se refere a um país unificado e sim a um conjunto de cidades que compartilhavam costumes, a língua e determinadas leis.

Inclusive, muitas dessas cidades eram inimigas como, por exemplo, Atenas e Esparta. Continue lendo para saber mais sobre sociedade, política, cultura e economia da Grécia Antiga.

Política na Grécia Antiga

Os gregos do Período Clássico buscaram cultivar a beleza e a virtude através do desenvolvimento de artes, como música, arquitetura, pintura e escultura. Havia a crença de que dessa forma os cidadãos contribuiriam para o bem-comum. Assim nasceu a democracia. 

O governo na democracia era exercido pelo povo, diferentemente de impérios cujos dirigentes eram tidos como deuses como no Egito, por exemplo, em que os Faraós eram considerados deuses. Atenas apresentou o máximo do desenvolvimento da democracia, os homens livres podiam debater questões políticas em praça pública. 

Sociedade

A organização social era diferente em cada cidade. Algumas polis, como Atenas, por exemplo, admitiam a escravidão em decorrência de dívida ou guerras. Esparta, por sua vez, contava com poucos escravos, no entanto, tinha servos estatais que eram propriedade do governo espartano. Tanto Atenas quanto Esparta contavam com uma oligarquia rural no comando dos seus governos. 

Os estrangeiros em Atenas eram chamados de metecos. Apenas era considerado cidadão na cidade quem tivesse nascido nela. Os estrangeiros não podiam participar das decisões políticas da cidade. 

Economia

A base da economia grega era a agricultura, os produtos artesanais e o comércio. Os gregos produziam itens com materiais como metal, couro e tecidos. Eram produtos que davam muito trabalho para serem feitos, uma vez que todas as etapas de produção, da fiação ao tingimento, eram bastante demoradas. 

Já os cultivos estavam dedicados a oliveiras, vinhas e trigo. Também havia a criação de animais de pequeno porte. O comércio era realizado entre as cidades gregas às margens do Mediterrâneo e impactava toda a sociedade grega. A moeda usada para as trocas comerciais era a “dracma”. 

O pequeno e o grande comerciante realizavam suas atividades. O primeiro levava a sua colheita ao mercado local e o segundo era aquele que tinha barcos para fazer toda a rota do Mediterrâneo.

Cultura

Há uma forte relação entre a cultura e a religião da Grécia Antiga. Literatura, música e teatro focavam em contar os feitos dos heróis e a sua relação com os deuses do Olimpo. Peças teatrais eram manifestações culturais muito populares e todas as cidades da Grécia contavam com um espaço cênico, chamado de orquestra, em que se encenavam comédias e tragédias. 

Por sua vez, a música era bastante relevante para animar os banquetes civis e acompanhar atos religiosos. O destaque dos instrumentos ficava para a flauta, harpas e tambores. As harpas eram usadas para ajudar os poetas a recitar as suas obras.

Esportes também eram atividades que integravam o dia a dia dos gregos. Nos tempos de paz, eram realizadas competições entre as polis como uma forma de celebrar essa aliança.

Em 776 a.C. foi realizada, na cidade de Olímpia, a primeira dessas competições e por isso ficaram conhecidas como Jogos Olímpicos ou Olimpíadas. Podiam participar dessas competições os homens livres que soubessem falar grego.

Resumo da história da Grécia Antiga

A Grécia Antiga tem sua história dividida em quatro períodos, confira abaixo. 

Período Pré-Homérico (séculos XX – XII a.C.)

A miscigenação dos povos Indo-Europeus ou arianos (eólios, aqueus, jônios e dórios) deu origem à formação da Grécia Antiga. Esses povos migraram para a região no sul da península Balcânica entre os mares Egeu, Mediterrâneo e Jônico. Estima-se que os aqueus chegaram por volta de 2000 a.C., entrando em contato com os cretenses e tendo adotado a sua escrita. Os cretenses foram aniquilados. 

Vários reinos foram organizados sob a liderança da cidade de Micenas. A civilização micênica foi destruída pelos dórios no século XII a.C.. Com esse domínio, houve a dispersão da população favorecendo a formação de colônias. Esse acontecimento entrou para a história como a 1ª diáspora grega.

Período Homérico (séculos XII – VIII a.C.)

Houve retrocesso social e comercial entre os gregos durante as invasões dóricas. Em determinadas regiões, surgiram genos, comunidade composta por famílias numerosas com um ancestral em comum. Os bens eram comuns a todos e o trabalho coletivo. 

Os genos começaram a se desagregar com o desequilíbrio entre a população e o consumo. Muitos abandonaram os genos para buscar melhores condições de sobrevivência, dando início à colonização de grande parte do Mediterrâneo. Esse movimento, que levou à desintegração do sistema gentílico, é conhecido como 2ª diáspora grega.

Período Arcaico (séculos VIII – VI a.C.)

A decadência da comunidade gentílica é o que dá início ao Período Arcaico. Os aristocratas se unem criando as frátrias, irmandades compostas por indivíduos de diferentes genos. 

Houve então a formação de tribos em terrenos elevados, essas cidades fortificadas receberam o nome de acrópoles. Assim nasceram as Cidades-Estados, as polis gregas. Esparta e Atenas serviram de modelo para as outras polis. A primeira era conhecida pela disciplina e por ser um estado militarista. A última era o símbolo do esplendor cultural. 

Período Clássico (séculos V – IV a.C.)

As Guerras Médicas, entre cidades gregas e persas, marcaram o começo do Período Clássico. Foi um período de grande ameaça ao comércio e segurança das polis. Com o fim das guerras, Atenas tornou-se líder da Confederação de Delos, organização formada por inúmeras Cidades-Estados e estava em seu ápice de prosperidade. 

Esparta respondeu formando a Liga do Peloponeso com outras Cidades-Estados e declarou guerra a Atenas em 431 a.C.. Foram 27 anos de lutas e no final Atenas foi derrotada. Algum tempo depois, Esparta perdeu a hegemonia para Tebas. A Grécia foi incorporada ao Império Macedônico, período conhecido como helenístico. 

Agora você tem um panorama da Grécia Antiga!

Retornar ao Blog