01/03/2021 História

Imigração japonesa no Brasil – História e curiosidades

Escrito por Hexag Educação @hexagmedicina
Imigração japonesa no Brasil – História e curiosidades

A data que marca o início da imigração japonesa no Brasil é 18 de junho de 1908. Nessa ocasião, desembarcou no porto de Santos o navio Kasato Maru, que trouxe o primeiro grupo de imigrantes. Essa chegada foi fruto de um acordo selado entre os governos brasileiro e japonês.

Para conhecer detalhes da história da imigração japonesa no Brasil e entender o que levou a esse acordo entre os dois países é só continuar e leitura.

História da imigração japonesa no Brasil

No final do século 19, o processo de modernização do Japão estava iniciando e quem estava no poder era o Imperador Meiji. Uma das questões a serem solucionadas era o alto índice demográfico. Então, como forma de resolver isso, foi adotada uma política de emigração, incentivando os japoneses a irem viver em outros países.

O Brasil estava vivendo o contrário e precisava de pessoas para trabalharem nas fazendas de café, que estavam localizadas em sua maioria no estado de São Paulo e na região norte do Paraná. Com a abolição da escravatura, ocorrida em 1888, os fazendeiros estavam em busca de mão de obra, tanto que estavam também recebendo italianos para o mesmo fim.

Assim, movidos cada um por seus interesses, os governos brasileiro e japonês decidiram entrar em um acordo de imigração, com um processo que se iniciou em 1906. Dois anos depois, em 18 de junho de 1908, chega ao Brasil o navio Kasato Maru com 781 imigrantes japoneses. Foram 52 dias de viagem até chegar ao porto de Santos.

Chegada dos imigrantes japoneses no Brasil

Os japoneses vieram com expectativas de melhorar de vida e, depois de alguns anos, retornarem ao seu país. Na chegada, assinaram contratos de trabalho com os fazendeiros de café com duração de três a sete anos. No caso de descumprimento, precisariam pagar multas altíssimas.

Quando foram levados até as fazendas perceberam que não havia nenhum tipo de estrutura para recebê-los. Além disso, o fato de não entenderem português tornava a situação ainda mais difícil. Entretanto, como não tinham condições de arcar com o valor da multa, ficavam até o fim do contrato. Alguns arriscavam e fugiam para outros estados.

Com o passar do tempo, os imigrantes foram encontrando maneiras de alcançar a estabilidade. Alguns se dedicaram à lavoura, enquanto outros se mudaram para as cidades, onde abriram comércios. Estima-se que o Brasil tenha recebido quase duzentos mil imigrantes vindos do Japão antes de 1936, quando iniciou a Segunda Guerra Mundial.

Curiosidades sobre a imigração japonesa no Brasil

Além da história principal sobre a imigração japonesa no Brasil, existem alguns fatos curiosos sobre a relação entre Brasil e Japão.

Primeiros japoneses a pisarem no Brasil

Os imigrantes que vieram no navio Kasato Maru não foram os primeiros japoneses a pisarem no Brasil. A primeira visita aconteceu por acaso, em 1803, quando um navio chamado Wakamiya Maru naufragou. Seus tripulantes foram salvos por uma embarcação de guerra da Rússia.

Como não podiam desviar do seu destino, levaram os japoneses por toda a viagem. Na volta, precisaram parar para realizar um conserto na embarcação, que levou dois meses até ser concluído. A parada foi feita em uma área que na época era chamada Porto de Desterro, território que hoje corresponde à cidade de Florianópolis, em Santa Catarina.

Nomes das gerações de imigrantes japoneses

Os imigrantes e descendentes de japoneses recebem uma classificação diferente dependendo da geração da qual fazem parte. Todos os termos, com exceção de nikkei, possuem o sufixo “sei”, que significa exatamente a palavra geração. Observe:

  • Nikkei: forma como são chamados os imigrantes japoneses;
  • Issei: primeira geração de imigrantes japoneses;
  • Nissei: fazem parte da segunda geração, ou seja, são os filhos dos isseis;
  • Sansei: são netos de japoneses e membros da terceira geração;
  • Yonsei: são os bisnetos de japoneses e que, portanto, fazem parte da quarta geração;
  • Gossei: são da quinta geração e trinetos de japoneses;
  • Rokussei: são da sexta geração e tetranetos de japoneses;
  • Shichissei: são da sétima geração e pentanetos de japoneses.

Influências dos imigrantes japoneses na cultura brasileira

Os processos de imigração geram fenômenos culturais através da introdução dos costumes de outros países. Os japoneses contribuíram com a cultura brasileira de várias maneiras, começando pela agricultura.

As técnicas trazidas por eles aperfeiçoaram o cultivo de vários alimentos, como tomate, batata, arroz, entre outros. Além disso, trouxeram sementes de plantas que não eram cultivadas no Brasil, como soja, rabanete, pepino, cebolinha e mais uma infinidade de vegetais.

As artes marciais, como karatê e judô, também foram trazidas por eles. Assim como o budismo e outras práticas voltadas para a espiritualidade. Até mesmo a tradicional sandália de dedo que é bastante popular no Brasil foi inspirada em um modelo japonês feito de palha, chamado zori.

A imigração japonesa no Brasil é um importante capítulo da história do nosso país e que trouxe diversas influências para a nossa cultura. Para conferir mais conteúdos de temas que podem ser cobrados no Enem e no vestibular, fique ligado no blog do Hexag Medicina!

Retornar ao Blog