08/12/2020 História

O que aconteceu em Chernobyl?

Escrito por Hexag Educação @hexagmedicina
O que aconteceu em Chernobyl?

O nome Chernobyl é familiar para muitas pessoas e remete ao maior acidente nuclear que já aconteceu na história. Mas, você sabe exatamente o que aconteceu em Chernobyl, quais foram as causas e consequências do acidente? Siga a leitura para entender como esse desastre se deu e compreender esse importante capítulo da história mundial.

O que aconteceu em Chernobyl? Quais foram as causas do acidente?

Na madrugada de 26 de abril de 1986, ocorreu o acidente que iria marcar para sempre a vida dos moradores de Pripyat, que é a cidade em que está localizada a usina, e de Chernobyl, que fica a 20 quilômetros de distância. Hoje, esse território pertence à Ucrânia, mas na época fazia parte da União Soviética.
 
O acidente de Chernobyl aconteceu devido a uma explosão ocorrida no reator 4 da usina, que foi causada por falha humana, pois os operadores responsáveis deixaram de cumprir partes importantes do protocolo de segurança durante a realização de um teste. Outro fator que pode ter contribuído é que os reatores utilizados, do tipo RBMK, possuíam uma falha em seu projeto.
 
Assim que o reator explodiu, dois operadores morreram e começou um incêndio que durou por vários dias. A explosão fez com que o reator ficasse exposto e o incêndio fez com que o material radioativo fosse espalhado através do vento. Países como Bielorrússia, Áustria, Suécia e Polônia logo perceberam que o nível de radiação estava alto, enviando alertas para a comunidade internacional.
 
O governo soviético apenas admitiu que o acidente havia acontecido dois dias depois. Eles tentaram ao máximo esconder porque temiam que o fato comprometesse a reputação da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas. E foi exatamente isso o que aconteceu, pois, alguns anos após o desastre, a URSS foi dissolvida.

Pripyat e Chernobyl – Cidades fantasmas

Pripyat foi fundada na década de 1970, juntamente com a Usina Nuclear de Chernobyl, para abrigar seus funcionários. Contudo, após o acidente, precisou ser evacuada por conta do alto nível de radiação e dos riscos que isso poderia oferecer aos seus habitantes, assim como a cidade de Chernobyl.
 
A tentativa do governo soviético de esconder a situação, fez com que muitas medidas que eram emergenciais demorassem para ser tomadas, como a evacuação das áreas afetadas. As pessoas foram orientadas a sair de Pripyat, deixando alimentos e animais de estimação, apenas 36 horas depois do acidente, quando uma grande quantidade de plumas altamente radioativas já se espalhava pelo ar.
 
A princípio, a determinação valia para quem vivesse a 10 quilômetros da usina, mas, uma semana depois, esse número foi aumentado para 30 quilômetros, incluindo também moradores de Chernobyl. Hoje, as duas cidades se tornaram fantasmas, cientistas afirmam que só daqui cerca de 20 mil anos poderão ser habitadas novamente com segurança.
 
Apenas o exército e pessoas autorizadas têm acesso às cidades. Parte da população se recusou a seguir as ordens de evacuação e hoje, mais de 30 anos após o ocorrido, há por volta de 100 moradores na região. Além disso, há cientistas e trabalhadores que vivem lá por meio de um regime especial, em que têm os níveis de radiação constantemente medidos e não passam mais de 15 dias consecutivos na chamada zona de exclusão.
 
Por se tratar de um local que ficou conhecido mundialmente por conta do acidente, há um grande interesse por parte de turistas. Para fazer uma visita, é preciso receber uma autorização, ir acompanhado de agentes especializados e seguir todas as rigorosas normas de segurança, que incluem a medição da radiação e tempo máximo de permanência em cada área da cidade.

Consequências do acidente de Chernobyl para a população

O alto nível de radiação aumentou consideravelmente os casos de câncer entre ucranianos e bielorrussos. Pesquisas apontam que os casos de câncer infantil cresceram 40 vezes após o acidente e 7 vezes em adultos que vivem na região.

A Usina de Chernobyl atualmente

Após o acidente, foi enviado para Pripyat um grupo formado por cientistas, operários, bombeiros e outros trabalhadores a fim de conter os danos causados. Eles eram chamados de liquidadores e tinham a incumbência de realizar a limpeza da cidade, enterrar itens contaminados, medir os níveis de radiação, entre outras atividades.
 
Uma das medidas mais importantes realizadas pelos liquidadores foi a construção de uma estrutura em volta da usina, que começou a ser feita cerca de dois meses após a explosão e foi concluída no final de 1986. Essa cobertura é chamada de sarcófago e serve para conter a radiação. Em 2016, uma nova estrutura foi construída sobre a anterior, a fim de aumentar a segurança e a resistência da proteção.
 
O que aconteceu em Chernobyl foi algo realmente muito grave e, mesmo após mais de 30 anos, ainda traz consequências para a população da Ucrânia e países vizinhos. Para conferir mais conteúdos sobre importantes fatos históricos, além de dicas para o Enem e vestibulares, fique ligado no Blog do Hexag Medicina!

Retornar ao Blog