21/09/2020 História 10 minutos

O que foi o feudalismo?

Escrito por Hexag Educação @hexagmedicina
O que foi o feudalismo?

O feudalismo é um dos assuntos mais importantes para estudar quando falamos de Idade Média, já que se trata de um período fundamental da história da nossa sociedade. Compreender esse momento é essencial para entender até mesmo o sistema econômico, social e cultural que temos hoje e como chegamos até aqui. 
 
Acrescentá-lo em seu plano de estudos é essencial na preparação para as questões de História que podem cair no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) e no vestibular.
 
Se você não sabe o que foi o feudalismo, quais são as suas principais características e como ele surgiu, fique tranquilo. Vamos explicar tudo isso neste artigo, continue a leitura e confira!

O que foi o feudalismo

O feudalismo foi um sistema econômico, político e social que ocorreu na Europa Ocidental durante a Idade Média. Por mais de mil anos esse sistema guiou a vida de toda uma civilização baseado na posse de terra. O nome vem de “feudos”, cujo significado é “vilas”, que eram as unidades de habitação e produção daquela época. 

Como surgiu o feudalismo

O feudalismo surgiu em um momento de fragmentação política do Império Romano, quando muitas invasões aconteceram na região e fizeram com que as pessoas se mudassem para o campo, tanto nobres quanto os demais indivíduos. 
 
A partir daí iniciou-se um contexto de ruralização econômica e também a transição do trabalho escravo para o trabalho servil, em que o servo passa a ter uma dependência vitalícia e hereditária. 
 
Foi criada, então, toda uma estrutura hierárquica com base na terra. Ela era o principal cenário econômico da época, servindo tanto como moeda de troca quanto como local de subsistência.

Economia feudal

No feudalismo, a economia era agrária e voltada para a subsistência, ou seja, com uma agricultura usada para suprir as necessidades do feudo. Havia pouco uso da moeda, a vida urbana e a atividade comercial eram praticamente inexistentes. 

Sociedade feudal

A sociedade no feudalismo era extremamente hierarquizada, sendo dividida por camadas sociais e, por isso, recebia o nome de sociedade estamental. Basicamente havia três estamentos sociais: nobreza, clero e servos. Essa posição dependia do nascimento e praticamente era impossível trocar de classe social. Ou seja, filhos da nobreza sempre seriam nobres e filhos dos servos sempre seriam servos.
 
Saiba mais sobre cada uma dessas classes abaixo.

Nobreza

No topo da hierarquia estavam reis e senhores feudais, os proprietários das terras. Eles exerciam poder absoluto sobre seus domínios, podiam aplicar leis, conceder privilégios, cobrar taxas, administrar a justiça e declarar a guerra. Na prática, o senhor feudal tinha mais poder de interferência direta sobre as regras e imposições do que o rei. 
 
Em sua relação com os servos, a nobreza tinha duas obrigações principais: oferecer um pedaço de terra para que ele pudesse obter o seu sustento e o de sua família e proporcionar proteção militar, ou seja, segurança.

Clero

A Igreja era muito poderosa na época do feudalismo, pois era proprietária de vastas extensões de terras, muitas vezes doadas por um senhor feudal em sinal de sua devoção religiosa. Por conta disso, os clérigos passavam a exercer poderes semelhantes ao dos senhores feudais, algumas vezes interferindo até mesmo nas questões políticas. Além disso, a Igreja controlava o viés ideológico de todo o povo.
 
Na opinião da Igreja, cada membro da sociedade tinha uma função e deveria cumprir com ela, sendo a do nobre de proteger a sociedade, a do clero de rezar e a do servo de trabalhar. Se alguém contestasse a sua condição social, estaria contestando a vontade de Deus e cometendo pecado.

Servos

Os servos recebiam do senhor feudal a possibilidade de habitar as terras e obter o sustento de suas famílias com base em uma série de obrigações, desde impostos até serviços. Algumas delas eram:
 
Corveia: serviços prestados nas terras ou nas instalações do feudo;
 
Talha: entregar 20% da colheita para o senhor feudal;
 
Dízimo: entregar 10% da colheita para a Igreja;
 
Banalidades: pagar taxas para usar ferramentas e instalações do feudo, como o moinho para moer seus grãos. 
 
Na classe mais baixa havia também os vilões, que moravam nas vilas, e os escravos. Embora não fosse uma prática comum da época, a maioria dos escravos existia por conta de dívidas ou de guerras. 

Crise do feudalismo

O feudalismo predominou na Europa principalmente do século 8 até o século 11, quando chegou a Baixa Idade Média. Uma série de fatores acabou diminuindo o poder dos senhores feudais, como o grande crescimento populacional, o esgotamento de terras disponíveis para distribuir e o êxodo dos servos para as cidades em busca de oportunidades. 
 
Agora você já sabe o que foi o feudalismo, como ele surgiu e quais são as suas principais características. Quer saber mais sobre temas que podem cair no Enem e no vestibular? Acesse o Blog do Hexag Medicina e confira nossos artigos.

Retornar ao Blog