05/10/2021 História

Segunda Guerra Mundial: como impactou a história?

Escrito por Hexag Educação @hexagmedicina
Segunda Guerra Mundial: como impactou a história?

A Segunda Guerra Mundial (1939-1945) foi um evento de grande impacto para a história da humanidade. O conflito deixou um número incontável de feridos e ocasionou milhares de óbitos. Também foi responsável pela configuração de uma nova dinâmica de poder mundial. 

Essa guerra levou os Estados Unidos à sua ascensão, dividiu o mundo entre o bloco capitalista e socialista, além de ter levado ao surgimento da ONU. Organização das Nações Unidas.

O Brasil também foi impactado pelo fim do conflito, o governo de Getúlio Vargas terminou e teve início uma maior aproximação com os norte-americanos. Continue lendo para entender mais sobre as consequências dessa guerra para o mundo.

Segunda Guerra Mundial: conheça os principais impactos históricos

Um evento bélico do porte da Segunda Guerra Mundial deixa marcas profundas e longevas na história. Veja quais foram as principais consequências desse conflito para o mundo.

1. Perda de milhões de vidas

Uma das principais consequências históricas da Segunda Guerra Mundial foi o grande número de vítimas. Estima-se que o conflito resultou em 35 milhões de feridos e 45 milhões de óbitos.

A União Soviética teve o maior número de vítimas, foram registrados 20 milhões de óbitos. A Polônia calculou 6 milhões de mortes e a Alemanha 5,5 milhões. Também morreram, em decorrência da guerra, 1,5 milhão de japoneses.

Um dos maiores e mais lastimáveis crimes contra a humanidade foi praticado durante a Segunda Guerra Mundial, 6 milhões de judeus foram assassinados. O Holocausto era parte do projeto chamado de “Solução Final”, de Adolf Hitler (1889-1945). Foi organizado pelos nazistas um sistema de extermínio em escala industrial nos campos de concentração. 

2. Custo econômico

O conflito que ceifou a vida de milhões de pessoas custou 1 trilhão e 385 bilhões de dólares. Desse montante, 21% ficou a cargo dos Estados Unidos, 13% custou à União Soviética e 4% foi arcado pelo Japão. É importante dizer que todos os 72 países envolvidos no conflito tiveram perdas, porém, em diferentes proporções. 

A produção industrial entrou em queda intensa e os investimentos governamentais foram direcionados para o conflito, deixando problemas sociais descobertos. Um ponto relevante de se considerar é que os Estados Unidos, diferentemente de outros países que amargaram perdas econômicas, fortaleceram a sua posição imperialista e econômica. Como o país dos ianques não foi atacado, não precisou empregar recursos para reconstrução.

3. Surgimento de novos países e redesenho de fronteiras

Com o fim da Segunda Guerra Mundial, novos países surgiram e fronteiras foram redesenhadas. O continente europeu, em 1945, ficou dividido entre os países capitalistas e os socialistas. Em 1938, a Alemanha anexou a Áustria, com o fim da guerra o país voltou a ser um território independente. 

A monarquia foi deposta na Itália, Romênia, Bulgária, Hungria e Iugoslávia, sendo substituída pelo regime republicano. Espanha e Portugal, sob as respectivas ditaduras de Franco e Salazar, permaneceram isoladas do sistema internacional até meados da década de 1950. Tchecoslováquia, Polônia, Hungria, entre outros países libertados pela União Soviética, passaram a ser influenciados por ela. 

4. Consequências para a Alemanha

Com o fim da Segunda Guerra Mundial, a Alemanha foi obrigada a se sujeitar aos chamados 4 “Ds”: desmilitarização, desnazificação, desarmamento e democratização. Foi realizado o julgamento de alguns líderes nazistas pelo Tribunal de Nuremberg, 12 deles foram sentenciados à morte. 

Além disso, a Alemanha ainda passou por uma divisão em duas zonas claras de influência: República Federal Alemã (RFA) capitalista e República Democrática Alemã (RDA) socialista.

Em Berlim, a capital da RDA, foi erguido o Muro de Berlim, um dos maiores símbolos da divisão ideológica global daquele período. As Forças Armadas alemãs foram reduzidas e instalações militares foram cedidas, tanto para tropas norte-americanas quanto para tropas soviéticas.

5. Consequências para o Japão

O Japão reconheceu a independência do território da Coreia e ainda foi obrigado a devolver as ilhas Curilas para a União Soviética. As Forças Armadas do país foram bastante reduzidas. Também se somam às consequências relegadas ao Japão os bombardeios atômicos das cidades de Hiroshima e Nagasaki, empreendidos pelos Estados Unidos. O Japão recebeu 2,5 bilhões para reconstrução. 

6. Guerra Fria

Os Estados Unidos ascenderam economicamente após o término da Segunda Guerra Mundial. Durante o período de enfrentamento bélico, o país investiu em torno de US$ 300 bilhões, esse valor foi recuperado com o incremento de 75% da indústria armamentista. 

O país ainda se tornou credor de nações arrasadas e destruídas pela guerra. No ano de 1948, foi elaborado o Plano Marshall, um plano de ajuda financeira de US$ 38 bilhões para a recuperação das cidades e indústrias europeias. 

A União Soviética recusou a ajuda dos Estados Unidos, o que deu início à chamada Guerra Fria. A influência soviética foi estendida aos países do leste europeu e aos movimentos, no sentido de implantar regimes socialistas. 

7. Fim do Governo Vargas no Brasil

A Segunda Guerra Mundial teve grande influência para que o governo Vargas chegasse ao fim. Ficou evidente a grande contradição existente em mandar soldados brasileiros para defender a democracia na Europa, enquanto no Brasil estava implantada uma ditadura. Em 1945, um golpe empreendido pelas Forças Armadas e conservadores levou à deposição de Getúlio Vargas.

A Força Expedicionária Brasileira foi desmobilizada ainda no continente europeu, Vargas acreditava que o contingente poderia se voltar contra ele. O Brasil continuou o movimento de alinhamento político e cultural com os Estados Unidos. Devido à sua participação no conflito, o Brasil recebeu o convite para integrar a ONU.

Essas foram as principais consequências de um dos maiores conflitos bélicos da história da humanidade.

Retornar ao Blog