Início / Blog / Português / Coloquialismo – Um pouco mais sobre a linguagem informal

Coloquialismo – Um pouco mais sobre a linguagem informal

Responsive Image

A linguagem coloquial é muito usada no dia a dia para nos comunicarmos com nossos amigos e familiares, tanto oralmente como por mensagens de texto e pela internet. O fato de ser tão presente na nossa vida não significa que sabemos tudo sobre ela. Afinal, usar esse tipo de linguagem é algo natural e não exige um conhecimento profundo de suas características para colocarmos em prática. 
 
No entanto, quando falamos de Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) e de vestibular, o contexto muda. Se alguma questão da prova abordar o coloquialismo, o estudante precisará resgatar todo o seu conhecimento sobre o assunto para responder corretamente. Por isso, a preparação é fundamental. 
 
Neste artigo, explicamos mais sobre a linguagem informal e o que você precisa saber sobre ela para arrasar nos exames mais importantes. Continue a leitura e confira!

O que é linguagem

Toda forma de se comunicar é um tipo de linguagem. Isso significa que existem vários tipos, já que podemos nos comunicar de diversas maneiras.
 
A linguagem verbal utiliza palavras para transmitir uma mensagem, sejam palavras escritas ou faladas. É o caso de uma carta, uma ligação ou um artigo. 
 
Já a linguagem não-verbal é aquela que utiliza recursos como gestos, sinais e imagens para passar uma informação. Sabe aquela propaganda que não tem diálogo, só foto ou vídeo? Ela consegue transmitir a sua mensagem sem precisar de qualquer tipo de palavra, portanto, é um tipo de linguagem não-verbal.

Características da linguagem coloquial

Utilizada no nosso cotidiano, a linguagem coloquial, também conhecida como coloquialismo, é a maneira mais informal e popular de usar as palavras para se comunicar. Isso significa que não é preciso seguir à risca as regras gramaticais e nem utilizar expressões cultas para transmitir uma mensagem.
 
Quando usamos a linguagem informal, falamos mais rápido, de maneira espontânea e descontraída. É comum, inclusive, cometer erros de concordância e de gramática, além de usar gírias, abreviações, estrangeirismos, neologismos e até palavras que não existem. 
 
Exemplos de frases com linguagem informal:
 
– Vai rolar uma party lá na praia esse fds, bora? (nesta frase encontramos gírias, estrangeirismo e abreviação)
 
– Ela não devia ter ido, já é nove horas. (erro de gramática: “deveria” e “são”)
 
Peraí que eu chegando. (formato reduzido e descontraído das palavras)

Características da linguagem culta

A linguagem culta é baseada nas práticas de comunicação formal e segue rigidamente as regras gramaticais. As frases são mais bem elaboradas e o vocabulário mais rico. Encontramos esse tipo de linguagem em situações formais, como uma entrevista de emprego ou uma audiência judicial, e também em documentos oficiais e jurídicos, artigos científicos, trabalhos acadêmicos, redações, entre outros textos.
 
A linguagem formal é caracterizada por uma maior preocupação com a escolha das palavras e a ausência de gírias e expressões comuns usadas no dia a dia.

Quando usar cada uma delas

É importante observar que a linguagem coloquial não é menos importante que a linguagem culta. No entanto, em determinadas situações ela não deve ser utilizada. É o caso de uma entrevista de emprego, por exemplo, ou de uma redação que pode ser a porta de entrada para a universidade dos seus sonhos.
 
Por isso, é fundamental compreender a diferença entre os dois tipos de linguagem e saber como usá-las, especialmente falando da linguagem culta, que exige o cumprimento exato das regras de gramática.

Coloquialismo no Enem e no vestibular

O primeiro ponto a destacar é que a redação, um dos itens mais importantes da sua prova, deve ser escrita usando a linguagem culta. Isso não significa que você precisa escolher palavras difíceis e pouco usadas no seu dia a dia, pois corre o risco de você aplicar de maneira errada, já que não está acostumado com a sua usabilidade, e pode acabar prejudicando a sua nota final. 
 
No entanto, é exigido que você cumpra com as regras gramaticais e entregue um texto com excelente concordância e coerência. Pode ser, inclusive, que você perca pontos se usar gírias, abreviações ou expressões relacionadas somente à linguagem informal. Por isso, ao escrever a sua redação é preciso desligar a função WhatsApp da mente e focar nas leituras e práticas que você fez ao se preparar para este momento importante. 
 
No caso das questões alternativas, pode ser que você encontre textos que utilizam o coloquialismo nas perguntas de Língua Portuguesa com o objetivo de avaliar o seu conhecimento e a sua capacidade de interpretação a respeito deste tipo de linguagem. Por isso, é fundamental se preparar. 
 
Agora você já sabe o que é coloquialismo, quais as maneiras mais adequadas de aplicar cada uma das linguagens e quais são as características de cada uma delas. Se quiser ficar por dentro de outros temas relacionados ao Enem e ao vestibular, acesse o Blog do Hexag Medicina e confira nossos artigos. 

Os artigos assinados são de responsabilidade dos autores e não refletem necessariamente a opinião do Hexag.

Compartilhe

Sobre o autor

user

Comentários

Responsive Image

Bitnami