18/08/2021 Química

O que são Polímeros?

Escrito por Hexag Educação @hexagmedicina
O que são Polímeros?

Saber o que são polímeros é essencial para quem está se preparando para o vestibular e o Enem. Trata-se de um conteúdo de química bastante cobrado em processos seletivos para o ensino superior. Continue lendo para entender o conceito de polímeros, quais são os tipos, as reações e outros pontos.

O que são polímeros?

As moléculas têm um papel imprescindível na constituição da matéria. Tendo esse princípio em mente, é importante se atentar para a junção desses elementos e as reações que ocorrem entre si, levando à formação de moléculas cada vez maiores, os polímeros.

A palavra polímero é formada a partir da junção das palavras gregas “poli” (muitas) e “mero” (partes). Logo, polímero é o agrupamento de várias moléculas (meros) que formam, então, uma macromolécula.

Monômeros e polímeros: como ocorre o processo de formação de polímeros?

No processo de formação dos polímeros, o destaque fica para os monômeros, que são sua matéria-prima. Essas microcélulas estabelecem ligações entre si e em condições específicas de pressão e temperatura, tendo a ajuda de um catalisador, originam os meros (partes que compõem uma grande cadeia de polímeros). É assim que ocorre o processo de formação de polímeros.

Conheça os tipos de polímeros

Existem polímeros naturais e sintéticos, confira a seguir mais detalhes a respeito.

Polímeros naturais

Nesta categoria, estão os polímeros encontrados na natureza e que fazem parte da composição orgânica de espécies animais e vegetais. Para se ter uma ideia, estão presentes até mesmo no DNA. Os polímeros naturais são conhecidos como biomoléculas ou moléculas da vida, estando presentes em carboidratos, proteínas e lipídios.

Polímeros sintéticos

Chamados também de artificiais, os polímeros sintéticos são basicamente aqueles produzidos em laboratório. O objetivo desses polímeros artificiais é o de imitar a composição dos naturais.

Os primeiros materiais sintéticos foram desenvolvidos somente no final do século XIX, por volta dos anos 1800. Para obter esse resultado, era necessário ter amplos conhecimentos de química orgânica e uma tecnologia sofisticada. As reações apresentadas foram divididas em dois grupos distintos: adição e condensação.

Reações de polimerização

A polimerização é o processo em que ocorre a combinação de monômeros que formam estruturas longas e complexas. Podem ser de adição ou condensação, observe.

Adição

Os polímeros de adição são aqueles formados a partir de reações de adição, isto é, pela soma de monômeros idênticos. Para que a ligação ocorra, é necessário que haja insaturações e que, em seguida, elas sejam rompidas, de maneira que outras moléculas sejam adicionadas, ampliando de maneira indefinida essa sequência.

Condensação

Neste caso, não é necessário que o monômero tenha insaturação para que possa passar pela reação. No entanto, precisa que o grupo funcional seja repetido duas vezes, como um diácido carboxílico ou um diálcool.

Polímeros plásticos: termoplásticos e termofixos

Também é importante falar a respeito dos polímeros plásticos que podem ser divididos em dois grupos: termoplásticos e termofixos.

Polímeros termoplásticos

Os polímeros termoplásticos são formados por elementos modificados pela ação direta do calor, alterando o seu formato. O processo de remodelagem pode ser realizado inúmeras vezes, no entanto, se deve saber que cada mudança leva à perda de propriedades do material. Para que as características perdidas sejam recuperadas, é necessário acrescentar outros materiais para recuperar.

Polímeros termofixos

De estrutura rígida, esses polímeros são chamados também de termorrígidos. Possuem estrutura tridimensional rígida com ligações cruzadas. Seu formato não pode ser alterado sem que haja danos no material. Porém, é possível o reaproveitamento de plásticos termofixos, desde que se adicione pequenas quantidades de outros polímeros que permitam a modelagem a partir de condições de temperatura e pressão adequadas.

Polímeros biodegradáveis

Os materiais dessa categoria se caracterizam pela possibilidade de se degradarem através da ação de microorganismos naturais, como fungos, bactérias e algas. Se estiverem submetidos às condições ideais de biodegradação, podem ser consumidores em semanas ou meses.

Os polímeros biodegradáveis podem ser derivados de fontes naturais renováveis, como celulose, cana-de-açúcar, milho e batata. Também podem ser sintetizados por bactérias ou ter origem de fonte animal, como quitosana, quitina e proteínas.

Há polímeros biodegradáveis originários de fontes fósseis como policaprolactonas (PCL), copoliésteres aromáticos, copoliésteres alifáticos, petróleo (biomassa e petróleo misturados) e poliesteramidas. Os polímeros biodegradáveis de fontes renováveis vêm ganhando destaque pelo contexto de grande preocupação ambiental que vivemos.

Confira exemplos de polímeros

Polímeros naturais

Dentre os principais exemplos de polímeros naturais estão:

  • Látex (extraído da seringueira e usado para produção de borracha);
  • Celulose (encontrado no algodão e presente na madeira é usado para a produção de papel);
  • Amido (presente em grãos e raízes faz parte da nossa alimentação como através do arroz, milho, batata e trigo).

Polímeros sintéticos

Dentre os principais exemplos de polímeros sintéticos, estão:

  • Policarbonato (PC) (utilizado para a produção de diversos itens como garrafas, CDs, vitrines e até interiores de aviões);
  • Poliuretano (PU) (usado como matéria-prima de revestimentos, molduras, móveis, esquadrias. Também é utilizado como material e isolamento térmico de roupas impermeáveis e de refrigeradores industriais e cosméticos);
  • Policloreto de vinilo (PVC) (também conhecido como cloreto de polivinilo é usado para a confecção de telhas translúcidas, tubos e conexões, molduras, divisórias e esquadrias);
  • Poliestireno (PS) (usado em grades de ar-condicionado por ser um bom isolante térmico, também é empregado em brinquedos, peças de máquinas e automóveis, além de gavetas de frigoríficos).
  • Polipropileno (PP) (utilizado no fabrico de brinquedos e para conservar alimentos, produtos químicos e medicamentos. Também é usado em canetas esferográficas e materiais hospitalares descartáveis).
  • Politereftalato de polietileno (PET) (bastante usado em embalagens de bebidas e alimentos, assim como em produtos de limpeza. Tem grande potencial de reaproveitamento).

Agora você já sabe o que são polímeros! Navegue pelo blog do Hexag Medicina para conferir mais conteúdos e dicas para o Enem e o vestibular!

Retornar ao Blog