Início / Blog / Química / Tabela periódica – O que estudar para o vestibular

Tabela periódica – O que estudar para o vestibular

Responsive Image

Quando falamos de Química logo vem à mente a tabela periódica, um assunto muito importante nessa disciplina e essencial no estudo para o Enem e o vestibular. Quando o estudante não tem afinidade com o tema, olhar para aquela quantidade de elementos químicos pode assustar. 
 
Mas fique tranquilo que não é preciso decorar. O mais importante é compreender as propriedades dos elementos e entender como a tabela funciona; é esse conhecimento que vai ajudar você a resolver as questões.
 
Neste artigo, vamos falar mais sobre a tabela periódica e o que você precisa estudar para se dar bem nas provas. Continue a leitura e confira!
 

O que é a tabela periódica

A tabela periódica é uma ferramenta usada para organizar os elementos químicos conhecidos de acordo com suas propriedades. Esses elementos estão divididos em um tipo de gráfico por ordem crescente do seu número atômico. Por exemplo, o primeiro elemento é o hidrogênio, com número atômico 1; na outra extremidade temos o hélio, que é o elemento de número atômico 2; e assim por diante.
 
Cada elemento é representado por um símbolo em letras. Por exemplo, o hidrogênio é representado pela letra H, já a prata é recebe as letras Ag, pois seu nome em latim é argentum. Ao lado de cada símbolo encontramos seu número atômico e o número de massa do elemento.
 
Para interpretar corretamente a tabela periódica é preciso entender que as linhas horizontais são chamadas de períodos e contém elementos com o mesmo número de camadas eletrônicas. Por exemplo, um elemento do terceiro período possui três camadas eletrônicas. Já as linhas verticais são chamadas de famílias ou grupos, pois seus elementos têm o mesmo número de elétrons na camada de valência e eles têm propriedades químicas semelhantes.
 

Como surgiu a tabela periódica

Os elementos químicos têm sido estudados desde a antiguidade, recebendo diversas classificações de acordo com o tipo e critério. No entanto, foi só em 1869 que eles passaram a ser organizados. Quem iniciou esse trabalho foi Dmitri Mendeleev, um professor da Universidade de São Petersburgo. Na época, eram conhecidos cerca de 60 elementos, que ele catalogou em fichas separadas com suas respectivas propriedades para poder estudá-los de uma maneira melhor.
 
Conforme Mendeleev fazia esse trabalho de catalogação, ele percebeu que muitas propriedades se repetiam de acordo com a massa atômica, sempre em uma mesma proporção, ou seja, era uma variável periódica. Então, ele agrupou os elementos no formato da tabela com base em suas massas atômicas para facilitar o acesso a esses dados.
 
Ao longo do tempo, novas descobertas foram feitas e acrescentadas na tabela. Atualmente, a tabela periódica conta com 118 elementos químicos sendo 92 naturais e 26 artificiais. 
 

Como é a classificação dos elementos químicos 

Uma das partes mais importantes para você estudar sobre a tabela periódica é a classificação dos elementos químicos. Confira abaixo.
 

Metais 

A maioria dos elementos químicos da tabela periódica é um metal, correspondendo a 87 elementos. Temos como exemplo ouro, prata, cobre, zinco, ferro e alumínio. Suas principais características são:
 

  • Possuem brilho metálico;
  • Em temperatura ambiente a maioria está no estado sólido, com exceção do mercúrio, que fica líquido;
  • São bons condutores de calor e eletricidade;
  • São maleáveis, podendo ser moldados em outros formatos;
  • São dúcteis, podendo formar fios.

 

Ametais

Possuem propriedades opostas às do metais, ou seja, são condutores ruins de calor e eletricidade, sem brilho, pouco maleáveis e com facilidade de se fragmentar. Atualmente, temos 11 elementos que são ametais na tabela periódica: o nitrogênio, o fósforo, o carbono, o oxigênio, o enxofre, o flúor, o cloro, o bromo, o iodo, o astato e o selênio.
 

Semimetais

Eles estão no meio termo comparados aos elementos citados anteriores, ou seja, possuem propriedades intermediárias aos metais e ametais. Possuem brilho metálico, mas têm pouca condução de eletricidade e fragmentam-se. Fazem parte deste grupo o polônio, o telúrio, o antimônio, o arsênio, o boro, o silício e o germânio.
 

Gases nobres

Pertencem à família 18 da tabela periódica. Recebem esse nome porque são gases em condições ambientes que têm como principal característica a inércia química, são encontrados na natureza de forma isolada e é muito raro vê-los combinados com outros elementos. São o radônio, o xenônio, o argônio, o criptônio, o neônio e o hélio.
 

Hidrogênio

O hidrogênio é tratado isoladamente porque é diferente de todos os outros elementos químicos. Geralmente, ele aparece posicionado na família 1 (a dos metais alcalinos), pois possui apenas um elétron em sua camada de valência, no entanto, suas propriedades não são semelhantes às dos membros dessa família. Algumas de suas características são a baixa densidade, bom agente redutor, pode formar quase todos os tipos de reação química, é incolor, inodoro e inflamável.
 
Agora você já sabe mais um pouco sobre a tabela periódica. Quer ficar por dentro de outros assuntos que podem cair no Enem e no vestibular? Acesse o Blog do Hexag Medicina e confira nossos artigos. 

Os artigos assinados são de responsabilidade dos autores e não refletem necessariamente a opinião do Hexag.

Compartilhe

Sobre o autor

user

Comentários

Responsive Image

Bitnami