06/05/2021 Saúde

Por que o zinco é importante para o organismo?

Escrito por Hexag Educação @hexagmedicina
Por que o zinco é importante para o organismo?

O zinco é um mineral fundamental para o desempenho adequado do sistema imunológico, trata-se de um componente crucial de diversas enzimas. Embora seja tão relevante para o organismo, não é produzido naturalmente, de maneira que deve ser ingerido através da alimentação.

Continue lendo para entender melhor o papel do zinco no organismo.

Zinco: por que é tão importante para o organismo?

O zinco é um componente fundamental do sítio ativo de inúmeras enzimas e possui função fundamental em centenas de processos realizados pelo corpo. Trata-se de um mineral de grande importância para o bom funcionamento do sistema imunológico.

Inclusive, pode contribuir para o tratamento de doenças de maior gravidade, como lúpus, fibromialgia, artrite reumatoide, AIDS e, possivelmente, esclerose múltipla.

Fontes de zinco

Como já mencionado, o zinco não é produzido naturalmente pelo organismo, sendo necessário obtê-lo através de fontes externas. Está presente em maiores quantidades em nozes, água potável, ovos e farinha de trigo integral. Outras boas fontes desse mineral são peixes, aves, mariscos, leite e seus derivados e feijão.

Falta de zinco: sintomas

Alguns sintomas podem ser indicativos da falta de zinco no organismo, como diarreia crônica, pouco apetite, retardo no crescimento celular, deficiência do sistema autoimune e atraso da maturidade sexual.

Quais são os benefícios do zinco para o organismo?

Para compreender de forma mais completa a importância do zinco para o organismo, é interessante conhecer os benefícios que esse mineral oferece.

Prevenção do Alzheimer

Grande parte dos pacientes da doença apresenta níveis baixos de zinco no organismo. Algo pertinente de observar, uma vez que mineral integra uma enzima chamada superóxido dismutase, cujo papel é a proteção do organismo contra o estresse oxidativo. Quando há falta dessa enzima, o organismo se torna mais suscetível à ação dos perigosos radicais livres, que podem potencializar o risco de Alzheimer.

No entanto, não é aconselhável abusar de cápsulas de zinco, pois seu acúmulo pode dar mais força para a doença, conhecida por eliminar as memórias. Quem deseja aproveitar o efeito de proteção do zinco deve apostar em uma dieta equilibrada.

Benefícios para o sistema cardiovascular

O zinco no organismo contribui para um menor aperto nos vasos, o mineral ajuda na regulação das substâncias relacionadas ao controle da pressão. Alguns especialistas também apontam que sua a falta no organismo pode alterar o paladar, de maneira que leva o indivíduo a usar mais sal em suas refeições, algo que contribui para um quadro de hipertensão.

Outro ponto importante de destacar é que o zinco é fundamental para reparar danos nos vasos que são decorrentes da oxidação do colesterol LDL. Isso contribui para diminuir as chances de desenvolver aterosclerose.

Redução da depressão

De acordo com um estudo científico publicado na revista do Instituto de Tecnólogos da Alimentação, nos Estados Unidos, o zinco pode contribuir para diminuir os efeitos da depressão em mulheres jovens. O mineral foi identificado como um facilitador de sinapses (sinais que os neurônios trocam entre si) que pode contribuir para diminuir a melancolia intensa.

Combate ao diabetes

O zinco possui relação íntima com o processo de estocagem e liberação da insulina. Logo, a falta dele no organismo contribui para acelerar o processo de resistência a esse hormônio, tornando o indivíduo mais propenso ao diabetes. Há estudos que demonstram o impacto positivo da suplementação por zinco em casos de pacientes diabéticos que têm sua visão ameaçada.

No entanto, não se deve optar pela suplementação sem acompanhamento médico, uma vez que ela pode piorar o metabolismo da glicose. É melhor aguardar novidades científicas a esse respeito e conversar com um médico.

Melhora do processo de cicatrização

O zinco tem função essencial na fabricação de colagenese, enzima que atua produzindo colágeno (é como se fosse um cimento para reparar rachaduras). Pomadas para cicatrização são feitas com base nessa substância. A sua falta no organismo pode tornar difícil a recuperação do tecido cortado.

Potencialização do sistema imunológico

Esse mineral é o micronutriente que possui maior impacto sobre o sistema imunológico. Há um estudo que relaciona a redução de atividade na glândula timo com a carência de zinco.

O timo fica localizado no meio do peito e sua função é maturar os linfócitos T, importantes células de defesa. Manter essas células em prontidão é essencial para evitar uma série de problemas de saúde.

Proteção contra pneumonia

O zinco reforça o sistema imunológico, de maneira a protegê-lo contra a pneumonia. Já foram realizadas pesquisas que demonstraram a relação entre a maior quantidade de zinco no organismo e a redução da duração de uma pneumonia severa.

No caso de crianças é ainda mais eficiente, pois 20 miligramas diárias de zinco não somente ajudavam a parar a doença como reduziam o risco de resistência a antibióticos pela redução de exposição aos mesmos.

Aliado na gravidez

Esse mineral é um grande aliado das gestantes, a deficiência de zinco pode dificultar o desenvolvimento do feto, acarretar infecções intrauterinas e o baixo peso do bebê. Além disso, contribui para manter a criança até a 40ª semana no útero da mãe.

Para conferir mais conteúdos informativos como este, além de dicas para ter um bom desempenho no vestibular e no Enem, fique ligado no blog do Hexag Medicina! 

Retornar ao Blog